terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Val* y Val**

Retomando o relato da minha incursão por terras chilenas…


Foi curioso que as cidades que posteriormente visitei, ao deixar para trás as portas da Patagónia, começavam justamente pela mesma sílaba “Val”…


…Valdivia e Valparaíso!




Na realidade Valdivia nunca esteve nos meus planos iniciais…contudo a gestão da viagem de regresso tem sempre os seus imprevistos interessantes.


Ainda nunca falei disto no blogue mas penso que é interessante transmiti-lo … aqui por estas bandas como as distâncias entre dois locais visitáveis são imensas a viagem de regresso tem que estar sempre na nossa mente pois andar e andar feito maluco para um determinado local pode implicar que não tenhamos possibilidade de regressar a tempo aos nossos compromissos, neste caso laborais. Mas o mais complicado é fazer a viagem de regresso de tal forma que esta não implique a perda das horas valiosas do dia. Além disso temos que ter sempre em atenção aos imprevistos normais desta região do globo.

Desta forma uma viagem implica sempre alguma gestão cuidadosa e por outro algum “feeling” nas decisões tomadas.


Foi precisamente o que tive que fazer no meu regresso ao ponto de origem, Santiago do Chile. Estava eu em Puerto Montt, a 1000 km de distância de Santiago, e já passavam das 23h da noite. Tinha perdido o meu último autocarro para a capital! Tive duas opções a tomar na manhã seguinte, tendo em conta que me faltavam 2 dias para o meu voo de regresso, depois de alguma gestão de possibilidades e imprevistos; ou viajava durante o dia para Santiago, o que à partida era o mais seguro pois iria permitir que estivesse por perto do aeroporto do qual levantaria voo mas por outro lado iria perder um dia devido à longa viagem em questão, 14h mais ou menos; ou então viajaria para um ponto relativamente próximo donde estava e logo no final do dia tomava um daqueles autocarros nocturnos para Santiago.


Decidi-me pela segunda opção e para tornar as coisas mais arriscadas decidi não ir directo a Santiago no final do dia mas a Valparaíso. De Valparaíso, segundo as informações que tinha, deveriam haver bastantes autocarros para Santiago o que me permitiria sair lá pró meio da tarde de Valparaíso de forma a chegar a tempo, mas às justas, a Santiago e assim tomar o meu rico voo para Lima!


Tudo correu na perfeição, até tive tempo de ler qualquer coisita num jardim de Santiago e comer um cachorro num restaurante de influência americana. Mas o mais porreiro é que fui pró aeroporto no tal “aerobus” que deveria ter tomado na minha chegada caso não tivesse sido enganado :)


Relativamente aos locais em questão vou ser parco em palavras pois as imagens revelarão a maioria das suas particularidades.


Valdivia é uma cidade lindíssima, tranquila, verdejante, universitária, situada numa região de afluência de diversos rios (Región de los Ríos), que nos agracia com diversos lobos-marinhos gigantes! Sim é verdade, existem vários lobos-marinhos que repousam nas tranquilas águas do rio que banha a cidade. Simplesmente sobem alguns km deste mesmo rio que desagua no Pacífico para serem recompensados com restos de peixe do mercado ribeirinho.


A marginal de me iria proporcionar uma autêntica ida ao jardim zoológico!


...uma interessante espécie de ave...


Os tais lobos marinhos que marcaram a minha viagem a Valdivia!


O tal mercado ribeirinho...que era invadido por lobos marinhos, aves piscatórias, pelicanos...e turistas!

As ruas organizadas de Valdivia.

...plataformas utilizadas pelos lobos marinhos para descansar...tendo em conta a sua vida muito agitada!

...jardim botânico da Universidade Austral do Chile.



A costa da região de Valdivia, com os sempre presentes pelicanos...



Mais lobos marinhos para terminar. É invejável a tranquilidade que revelam durante as suas siestas...e acabei por não descobrir como é que eles chegavam às plataformas :)



Valparaíso, cidade património da humanidade pela UNESCO, é actualmente sede do Congresso Nacional do Chile que foi deslocalizado de Santiago. As suas colinas viradas para o pacífico recordaram-me as de Lisboa, talvez pelas ruas velhas, estreitas, coloridas e inclinadas, talvez pelos vários elevadores que vencem as inclinações em favor da população mais idosa, não sei…as imagens me defenderão ou não!


Também Valparaíso é sinal de Troleys, como aqueles que quase não recordo do Porto, e de Pablo Neruda. Numa das suas colinas repousa uma das casas no qual residiu o mais internacional poeta chileno.


...ruas de Valparaíso com os seus velhinhos Troleys...


...casa de Pablo Neruda! Também queria ter uma assim...

Duas vistas possíveis do topo das colinas.

Casona Mirador de Lukas, reputado cartonista chileno!

..um dos muito presentes ascensores de Valparaiso...


Valparaíso é isto!

...Museo a Cielo Abierto...é basicamente um circuito percorrido através de uma extensa escadaria e que nos permite observar diversas pinturas murais de artistas conhecidos....

Uma praça interessante de Valparaiso.


...esta colina, ou cerro como lhe chamam os chilenos, não vos faz lembrar qualquer coisa?

Hasta luego Chile!

Uma coisa é certa…espero voltar ao Chile pois as portas da Patagónia ficaram abertas e o convite para a explorar não se perdeu …

4 comentários:

Dinis disse...

opaaaa! tens de me dizer como e que editas estes posts enormes.. se e pelo editor do blogger ou se usas algum externo..

btw.. parabens pelas fotos estao mto mto boas.. (e exoticas)

e as chilenas, huh?

David disse...

muito bom,

opah tu tas como queres... adorava fazer essas viagens, aproveita!!!

Abraço.

Um viajante na expectativa... disse...

Obrigado óóó Londrinos!

David deixa estar que tu tb aproveitas pouco...eheh :)

Quanto a ti Dinis...é interessante a tua pergunta pois eu demorei imenso até entender como podia editar alto texto com bastantes fotos...

...mas com tentativas e erros...descobri que o texto podia copiá-lo do WORD...depois as fotos descarrego-las através do editor de mensagens...para as colocar no local certo do texto copio as fotos já descarregadas. Basicamente tendo o texto e as fotos no editor depois é como estar a trabalhar no Word.

No final submetes a mensagem e vais ter que aceitar um condição qualquer pois o facto de teres copiado o texto do Word gera-te um erro.

Simples não? heheh

Abraços,

Daniel

Raquel disse...

Ehhhh eu também queria ver essa bicharada toda!!!!!

Pareces o repórter Tintim! :P